CÚPULA SOCIAL DO MERCOSUL REUNIRÁ SOCIEDADE CIVIL EM BRASÍLIA

Lema: “Avançar no MERCOSUL com mais Integração, mais Direitos e mais Participação”

Escrito por: CDHIC • Publicado em: 29/06/2015 - 16:51 • Última modificação: 24/02/2016 - 17:07 Escrito por: CDHIC Publicado em: 29/06/2015 - 16:51 Última modificação: 24/02/2016 - 17:07

 

MSP siteMSP site

 

CÚPULA SOCIAL DO MERCOSUL REUNIRÁ SOCIEDADE CIVIL EM BRASÍLIA

Lema: “Avançar no MERCOSUL com mais Integração, mais Direitos e mais Participação”

            Nos dias 14, 15 e 16 de julho de 2015 será realizada, em Brasília, no marco da Presidência Pro Tempore do Brasil, a XVIII Cúpula Social do MERCOSUL. O encontro, realizado desde 2006, é considerado o principal espaço de diálogo entre os governos e a sociedade civil no âmbito do MERCOSUL. Criada com o objetivo de expandir e fortalecer a participação social no processo de integração regional, a Cúpula reúne representantes de governos, parlamentos, centrais sindicais, grêmios, associações, pastorais sociais, cooperativas, organizações de pequenos e médios empresários e de entidades que tratam de economia solidária, direitos humanos, migração, mulheres, juventude, meio ambiente, saúde e educação, etc. Além de possibilitar a transparência, a difusão de informações e a troca de experiências sobre as políticas sociais desenvolvidas pelos países do bloco, a Cúpula se configura como um dos principais espaços de formulação política da integração desejada pela sociedade civil.  Nesse ano, o encontro terá como lema “Avançar no MERCOSUL com mais Integração, mais Direitos e mais Participação” e será realizado previamente à Cúpula de Presidentes do MERCOSUL, que também acontecerá em Brasília.

            É inegável o quanto os países latino americanos anseiam a melhoria na integração regional do Bloco com a finalidade de obter avanços em suas respectivas realidades internas. O Paraguai pode ser citado como forte exemplo, pois o país está em busca de diversificar sua indústria a fim de ganhar maior presença nos mercados internacionais, atraindo fluxos de capitais de origem tanto nacional, quanto estrangeira.  Assim, o Paraguai objetiva otimizar o incentivo à infraestrutura rodoviária, melhorar a competitividade, o dinamismo interno, a oferta de exportação e criar espaços de trabalho para os residentes e cidadãos da região. Portanto, no cenário econômico, o papel do MERCOSUL está em agir a partir da compreensão das realidades estruturais e econômicas dos Países Membros. Nesse âmbito, tem-se o caso da concessão de tratamento diferenciado entre países com diferentes graus de desenvolvimento, que é um conceito amplamente utilizado nos fóruns multilaterais associado à questão das assimetrias.

            No entanto, para o encontro da Cúpula Social, o Centro de Direitos Humanos e Cidadania do Imigrante (CDHIC) acredita que, dada a conjuntura atual de crise econômica, que tem envolvido grande parte da América Latina, os assuntos comerciais já serão, inevitavelmente, discutidos na Cúpula de Presidentes do MERCOSUL.  Desta maneira, se faz necessário o debate acerca das questões sociais. Por isso, a urgência da sociedade civil no Programa MERCOSUL Social e Participativo, que, por sua vez, visa defender os indivíduos e os setores mais vulneráveis da estrutura social e em ressaltar o quanto se pode, e se deve fazer parte do corpo decisório.

            Em vista disso, dentre as várias mesas temáticas que ocorrerão ao longo dos dias de realização da Cúpula Social,  o CDHIC está organizando junto ao Programa, para o dia 15, a conferencia intitulada "Livre Circulação, Participação Social e Estatuto da Cidadania do MERCOSUL”, que contará com a presença do Alto Representante do MERCOSUL, Florisvaldo Fier, (Dr. Rosinha), Patrícia Gainza, (Articulação Sul Americana Espaço Sem Fronteiras Uruguai), Kattya Gonzalez (Coordenação de Advogados do Paraguai), Valeria Chiavetta, (Associação Ecumênica de Cuyo, Argentina) e  Rogério Sottili, (Secretário Adjunto de Direitos Humanos - Prefeitura de São Paulo Brasil), com a coordenação do Presidente do Cdhic/Secretário Executivo do Grito dos Excluídos Continental. Temática essa que é de suma importância, pois dada a conjuntura de migrações intrabloco, se faz imprescindível trazer para o debate as questões relacionadas à livre circulação de pessoas e a cidadania no MERCOSUL, abordando pontos cruciais para que se aprofunde essas questões, como, por exemplo, o direito ao voto.  Isto posto, ao contar com um corpo consistente de debatedores e um conteúdo de suma importância a ser problematizado, o CDHIC enxerga os futuros diálogos que se farão na Cúpula Social com uma expectativa de melhoria na integração regional no arcabouço do MERCOSUL, não apenas no âmbito comercial, mas também no escopo social, em especial nas resoluções legislativas da causa migratória.

Título: CÚPULA SOCIAL DO MERCOSUL REUNIRÁ SOCIEDADE CIVIL EM BRASÍLIA, Conteúdo:     CÚPULA SOCIAL DO MERCOSUL REUNIRÁ SOCIEDADE CIVIL EM BRASÍLIA Lema: “Avançar no MERCOSUL com mais Integração, mais Direitos e mais Participação”             Nos dias 14, 15 e 16 de julho de 2015 será realizada, em Brasília, no marco da Presidência Pro Tempore do Brasil, a XVIII Cúpula Social do MERCOSUL. O encontro, realizado desde 2006, é considerado o principal espaço de diálogo entre os governos e a sociedade civil no âmbito do MERCOSUL. Criada com o objetivo de expandir e fortalecer a participação social no processo de integração regional, a Cúpula reúne representantes de governos, parlamentos, centrais sindicais, grêmios, associações, pastorais sociais, cooperativas, organizações de pequenos e médios empresários e de entidades que tratam de economia solidária, direitos humanos, migração, mulheres, juventude, meio ambiente, saúde e educação, etc. Além de possibilitar a transparência, a difusão de informações e a troca de experiências sobre as políticas sociais desenvolvidas pelos países do bloco, a Cúpula se configura como um dos principais espaços de formulação política da integração desejada pela sociedade civil.  Nesse ano, o encontro terá como lema “Avançar no MERCOSUL com mais Integração, mais Direitos e mais Participação” e será realizado previamente à Cúpula de Presidentes do MERCOSUL, que também acontecerá em Brasília.             É inegável o quanto os países latino americanos anseiam a melhoria na integração regional do Bloco com a finalidade de obter avanços em suas respectivas realidades internas. O Paraguai pode ser citado como forte exemplo, pois o país está em busca de diversificar sua indústria a fim de ganhar maior presença nos mercados internacionais, atraindo fluxos de capitais de origem tanto nacional, quanto estrangeira.  Assim, o Paraguai objetiva otimizar o incentivo à infraestrutura rodoviária, melhorar a competitividade, o dinamismo interno, a oferta de exportação e criar espaços de trabalho para os residentes e cidadãos da região. Portanto, no cenário econômico, o papel do MERCOSUL está em agir a partir da compreensão das realidades estruturais e econômicas dos Países Membros. Nesse âmbito, tem-se o caso da concessão de tratamento diferenciado entre países com diferentes graus de desenvolvimento, que é um conceito amplamente utilizado nos fóruns multilaterais associado à questão das assimetrias.             No entanto, para o encontro da Cúpula Social, o Centro de Direitos Humanos e Cidadania do Imigrante (CDHIC) acredita que, dada a conjuntura atual de crise econômica, que tem envolvido grande parte da América Latina, os assuntos comerciais já serão, inevitavelmente, discutidos na Cúpula de Presidentes do MERCOSUL.  Desta maneira, se faz necessário o debate acerca das questões sociais. Por isso, a urgência da sociedade civil no Programa MERCOSUL Social e Participativo, que, por sua vez, visa defender os indivíduos e os setores mais vulneráveis da estrutura social e em ressaltar o quanto se pode, e se deve fazer parte do corpo decisório.             Em vista disso, dentre as várias mesas temáticas que ocorrerão ao longo dos dias de realização da Cúpula Social,  o CDHIC está organizando junto ao Programa, para o dia 15, a conferencia intitulada Livre Circulação, Participação Social e Estatuto da Cidadania do MERCOSUL”, que contará com a presença do Alto Representante do MERCOSUL, Florisvaldo Fier, (Dr. Rosinha), Patrícia Gainza, (Articulação Sul Americana Espaço Sem Fronteiras Uruguai), Kattya Gonzalez (Coordenação de Advogados do Paraguai), Valeria Chiavetta, (Associação Ecumênica de Cuyo, Argentina) e  Rogério Sottili, (Secretário Adjunto de Direitos Humanos - Prefeitura de São Paulo Brasil), com a coordenação do Presidente do Cdhic/Secretário Executivo do Grito dos Excluídos Continental. Temática essa que é de suma importância, pois dada a conjuntura de migrações intrabloco, se faz imprescindível trazer para o debate as questões relacionadas à livre circulação de pessoas e a cidadania no MERCOSUL, abordando pontos cruciais para que se aprofunde essas questões, como, por exemplo, o direito ao voto.  Isto posto, ao contar com um corpo consistente de debatedores e um conteúdo de suma importância a ser problematizado, o CDHIC enxerga os futuros diálogos que se farão na Cúpula Social com uma expectativa de melhoria na integração regional no arcabouço do MERCOSUL, não apenas no âmbito comercial, mas também no escopo social, em especial nas resoluções legislativas da causa migratória.



BOLETIM CDHIC

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.